sábado, 13 de agosto de 2022

Hespérides

 


O inverno recolhe e exige
o inviável : pomos de ouro
nas cascas do nu,
brotos abertos
muito além da nudez:
sumo sem frutos,
seiva sem árvores
na fotossíntese do nada
A floresta desprovida exila
a floresta imaginária,
troncos mudos de espanto
desenham o eco dos surdos,
a floresta sem símbolos dessora
os contornos do claro,
seu transtorno aniquila e anula
o âmago do áspero,
desveste e restaura
as sementes da flora
fermentando o húmus do frígido
nos solos do ermo.

.(Foto by Cleber Pacheco).

terça-feira, 9 de agosto de 2022

BREAKFAST

 


Pela manhã bebes o veneno
que o dia te oferece.
Cortas as unhas,
repartes o cabelo,
a vida é tão normal
que até o diabo se entedia.
Imploras aos santos
que a chuva venha,
a tarde seja agradável,
que o chá das cinco
seja saboroso e acrescentas
duas gotinhas de limão.
À noite trocas farpas e amenidades
com os circundantes
e a seguir põe-te a roncar
em comovente beatitude.
Os dias passam por ti
ilesos e carunchados
mesmo quando o orvalho os toca.
Medes a temperatura, a pressão,
vais ao médico e pedes,
servil, que carinhosamente sejam retiradas
as pedras dos teus rins.
O tempo transcorre fagueiro
e um dia tua boca murcha,
teus dentes caem
e já não ouves com a mesma
precisão de antes.
Até que certa manhã, despertas
e recusas o veneno
que o dia te oferece.

segunda-feira, 1 de agosto de 2022

O Mago

 

Fragmentos decifro
com descuidado zelo:
livros de areia,
bibliotecas de gelo.
Das veias linhas obtenho,
as quatro direções costuro
parindo pontos cardeais
na cartografia do escuro.
As cavidades do corpo
traçam a anatomia do medo ;
na medula da alma,
a transfusão do segredo.

Convoco nunca e sempre
numa só aparição
e o impossível se retrata
às vezes sim, outras não.

sábado, 30 de julho de 2022

Videopoema

https://www.youtube.com/watch?v=NLni7ok-JLA 

Meu poema ALEXANDRIA na voz do escritor Herman  Schmitz.

sábado, 23 de julho de 2022

O CORDEIRO MÍSTICO

 


Não creio em milagres:
já aconteceram todos.
Antes que o dia termine
haverá outra extinção.
Soldados atiram
flechas em São Sebastião.
O mundo compra virgens
no mercado das almas.
As tardes são tão curtas
que o dia nem começa.
Os anúncios dos profetas
requerem expiação.
Rasgadas são as vestes
do crucificado.
Ninguém mais se importa
em redigir o Livro das Horas.
Não creio em acontecimentos:
tudo é puro milagre.

(imagem: O Cordeiro Místico, retábulo de Van Eyck).

quarta-feira, 20 de julho de 2022

CONDIÇÃO


 Existir,

Tarefa infinda:
acontece, não acontece ainda.
Espera
Impedida de esperar,
Onda sem água, mar.
Espaço
Lacrado, lacuna,
mármore de bruma.
Existir,
memória do esquecer:
Foi,poderá ser.

domingo, 17 de julho de 2022

Alexandria


 Quem irá mensurar

todos os vocábulos pronunciados

de Adão ao Fim dos Tempos? 


Nossas células transpiram 

palavras 

no dicionário dos poros.

Nossa pele é vestimenta 

a encobrir a nudez de Eva. 


Vogais, consoantes,

ideogramas 

e continua anônimo

o mundo.

Casamo-nos com aquilo 

que em nós nomeia.

Ignoramos aquilo 

que em nós sabe.


Cunhamos moedas,

colecionamos selos,

enlouquecemos Van Gogh,

matamos Rimbaud. 

Extinguiu-se a vida 

com os dinossauros. 

Carregamos pedras 

que ainda não se converteram

 em roda. 

Dos mortos guardamos 

ouro e sobrenome.

O tempo se calcifica 

nas veias extintas 

dos fósseis.

Fragmentos devoram

o inteiro 

nos Manuscritos do Mar Morto,

como se fosse, o mundo, 

pálpebra a encobrir

o pasmo do olho.

Inventamos Shakespeare 

como se Shakespeare não houvesse

 nos inventado. 


Talvez um dia possamos 

escrever 

com o mesmo zelo 

dos suicidas 

e a solicitude tão terna 

dos incendiários

da Biblioteca de Alexandria. 


sábado, 16 de julho de 2022

Círculo

 

" A vida é tão curta",
lamentam-se os homens.
" Precisamos de mais tempo,
precisamos de mais crimes,
precisamos de mais santos", dizem
"A fome é tanta,
A sede é muita ,
Ainda não quitamos
todas as nossas dívidas", reclamam.
Muitos morrem,
muitos matam ,
ninguém sabe ao certo
onde o crime inicia.
Ninguém sabe ao certo
quantos partos faltam
até o sol enfim se extinguir,
quantas palavras serão ditas
até que uma nova estrela nasça.
Vida e morte se beijam
e inauguram
o primeiro incesto.
A primavera começa

muito além da raiz.

quinta-feira, 14 de julho de 2022

Solução

 

É preciso chamar
Hercule Poirot
para desvendar,
com suas celulazinhas cinzentas,
o crime fundamental de Caim.
Talvez assim possamos
desvendar o mistério
de todos os genocídios,
e homicídios cometidos.
Se isso não for suficiente,
resta-nos reescrever
o Gênesis ou oferecer
novos sacrifícios

aos antigos deuses.

segunda-feira, 11 de julho de 2022

Previsão

 

A previsão do tempo 

avisa-nos 

que haverá temporal,

queda de granizo 

e rajadas de vento de 100 km por hora. 

Abriguemo-nos todos 

na Arca de Noé,

sejamos sobreviventes 

de catástrofes geradas 

pelas intempéries do mundo. 

Muitos morrem 

na ansiedade da espera,

incapazes de suportar 

os caprichos da natureza. 

São estes que nos avisam 

que a morte é inevitável. 

quinta-feira, 7 de julho de 2022

Tradução

 

Santosh Bakaya é importante escritora da Índia. Tem diversos livros publicados. 


POEMA

Que minha poesia derrame consolo, amor e compaixão

no pequenos anjos especiais e seus cuidadores  ainda mais especiais,

e que essas pessoas  me ensinem a poesia do amor,

  através de sua bondade inocente.

  Que eles infundam em minha poesia aquele raro toque de cura.

Não, minha poesia não pede demais.

Minha poesia anseia ser curada com a força robusta de seu espírito,

e apesar de todas as probabilidades me faz cantar canções de esperança e resiliência.

 

Deixe-me escrever um poema que apague a pobreza opressiva, tão desenfreada.


Com um golpe da caneta, deixe-me remover todos os vestígios de racismo,

patriarcado e desonestidade e estabelecer o humanismo.


Ressuscite os sonhos em olhos mortos,   transforme suspiros persistentes


em sorrisos sem fim, conserte melodias quebradas,

transforme este mundo distópico em uma utopia onde reina o amor.


  Deixe-me escrever um poema que vai remendar os buracos nas meias do pobre garoto,

 onde os dedos trincados e rachados aparecem conscientemente.


Deixe minhas palavras protegê-lo das batidas cruéis da vida.


Sim, deixe-me escrever um poema que irá remover as lágrimas

  do rosto de uma criança devastada pela guerra, e o escárnio

do rosto de um auto-intitulado demagogo.

Deixe-me escrever um poema que fará com que  os pássaros zombeteiros

cantem com total facilidade.

Sim, dê-me esses  instrumentos poéticos, por favor.

quarta-feira, 6 de julho de 2022

Felinos

 

Sofrendo de insônia,
Mr. Catcher dedica-se a esvaziar
latas de atum na madrugada.
Na maior parte do tempo, porém,
ocupa-se
com o seu passatempo favorito:
jogar água quente
nos gatos que tumultuam
noite e trevas.
Como homem de boa índole,
Mr Catcher reza
todas as manhãs ao acordar.
Pensa que talvez
um dia possa se dedicar] a cultivar rosas.

segunda-feira, 20 de junho de 2022

Ancestral

 

Olhos extintos
Pigmentam
O hálito vitrificado
De nossas palavras.
Olhos extintos
Reparam
tudo o que nega
A aquarela do obtuso.
Olhos extintos
alimentam
A tesoura que recorta
A sombra no escuro.
Olhos extintos
Configuram
A arte de tecer
Os ossos do invertebrado.

Olhos extintos
Sustentam
as retinas cegas do tempo.

quarta-feira, 15 de junho de 2022

Depois

 

   

Você contempla o crepúsculo,

pessoas morrem na praia.

estrelas murchas dilatam

as crateras da lua. 


Você  recolhe afogados

nas conchas da praia.

O sol dissolve

a sombra em sombra tornada. 


 Num gesto de complacência.  

Me afogarei

depois de amanhã. 

quarta-feira, 8 de junho de 2022

A INVENÇÃO DA RODA

 

Mover o mundo
Até seu âmago,
Infispor-se com o tempo,
Querer remover,pisar o espaço,
Moldar extremos,
Brincar,um outro
Modo do sério,
Percorrer descobertas
No ventre do insosso.
Roda,ousadia
De pedra e rito

A mover o imóvel

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Resenha

          

          O livro A Arte da Ficção de David Lodge é um conjunto de diversos artigos a respeito de romances clássicos e abordam  temas interessantes.
          São textos breves, mas abrangem amplos aspectos da escrita ficcional.  E comentam autores significativos e importantes como  Jane Austen,  George Eliot,  Henry James,  aul Auster, Virginia Woolf, James Joyce, Nabokov, Conrad , Samuel Beckett e v[arios outros. 
          O autor principia comentando a abertura de  dois romances e  e vai desenvolvendo temas como Ponto de Vista,  Monólogo interior, Estranhamento, Fluxo de Cpnsciência,  Intertextualidade, , Polifonia, , Ironia, Metaficção, etc. 
          A leituyra é leve e agradável, mas têm uma abordagem que sabe explorar bem os temas escolhidos, fazendo análises inteligentes , com originalidade. 
      O livro pode ser lido tanto por aspirantes a escritores,  autores experientes, críticos literários e apaixonados por literatura.  

                                                                                           

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Livros Artesanais

    Desde criança  eu apreciava criar os meus próprios livros As imagens  abaixo são de livros artesanais que criei recentemente, tanto de poesia quanto de prosa.   Utilizei colagens e desenhos  com fins decorativos.  ou como ilustrações







segunda-feira, 9 de maio de 2022

Lançamento

     Inspirado pela filosofia Advaita Vedanta da Índia, laço este livro de SUTRAS PARA MEDITAÇÃO perla Editora Penalux.   

   Sutras são textos bem sucintos, contendo a essência de um ensinamento, de uma verdade. A Advaita propõe a Inquirição como meio de chegar à Autorrealização por ser um caminho mais curto do que o Yoga. 

   O livro contém ainda um prefácio, comentários para  auxiliar o leitor e e mantém um espaço em branco parea que cada um faça as  anotações pessoais de suas próprias conclusões.


                        



sexta-feira, 8 de abril de 2022

Sophia de Mello Breyner Andresen

 


A ANÊMONA DOS DIAS
Aquele que profanou o mar
E que traiu o arco azul do tempo
Falou da sua vitória
Disse que tinha ultrapassado a lei
Falou da sua liberdade
Falou de si próprio como dum Messias
Porém eu vi no chão suja e calcada
A transparente anêmona dos dias .

domingo, 3 de abril de 2022

Rosa Saguna, Rosa Nirguna

 

 Vejo a rosa sattvica 

em exata desmedida 

de  pétalas e silêncio, 

única;

desprovida de improviso,

quase o oposto 

duma imagem.

Um modo outro 

de fazer-se vista, 

inencontrada, 

num desconcerto de rizoma,

vívida.

Presente e isenta.

Um modo outro

de expor-se, intocada,

incolor ao tato,

autêntica. 

Uma rosa desprovida,

o entorno,,

tornando viável 

a rosa, o eterno 

conceito do ilógico,

razão original do Impossível. 

Vejo a rosa, 

o seu ato; dispo-me. 

Não para ser visto, 

mas imitação: enigma.  

sábado, 26 de março de 2022

Resenha


    Autor do clássico  Pais e Filhos,  o escritor russo  Turguêniev  escreveu outros livros hoje menos conhecidos.  Um Ninho de Fidalgos   é  um romance interessante que aborda não apenas questões de classes, mas principalmente a possibilidade de ser feliz. 

    Com uma narrativa detalhada e interessante, ele nos relata a história de Fiódor, traído pela esposa em Paris e o seu retorno ao meio rural, onde passa a viver. Em sua chegada conhece  Liza, por quem acaba se apaixonando.  Ele antevê  uma nova oportunidade em sua vida.  Até que o inesperado acontece. 

   Liza  é personagem cativante. Jovem, bela  e com um coração puro, atrai as atenções de  Panchim, um rapaz diletante, acostumado a circular com êxito no meio social, porém vazio de ideias próprias e também o velho e amargurado compositor  Lemm, cujas esperanças de uma vida melhor  já foram destruídas há muito tempo. 

    O texto contém poucos personagens, apresenta-os e depois   retoma o passado para que os compreendamos  melhor  e para desenvolver posteriormente o enredo . Conflitos emocionais e morais acabam por aflorar  fazendo com que a ação, que inicia lenta, vá se precipitando para um final onde os acontecimentos conduzem a tentativas de soluções  diante do impasse ético, religioso e pessoal. 

    Para quem aprecia os romances do século XIX , trata-se de uma boa opção de leitura.

    

   

domingo, 20 de março de 2022

Leitura e Escrita

     Existem vários livros bons e interessantes a respeito  de leitura e  da arte de escrever que podem interessar  tanto a leitores quanto a escritores ou aspirantes.  Deixo aqui algumas dicas. 

                       










quinta-feira, 17 de março de 2022

Proust

 


" (...) a leitura pode tornar-se uma espécie de disciplina curativa e estar encarregada, por meio de repetidas incitações, de constantemente reinserir aquele espírito indolente na vida espiritual. "

quinta-feira, 10 de março de 2022

Resenha

 


    Para quem é apaixonado por livros e literatura, indico O Mundo da Escrita - Como a literatura transformou a civilização , da autoria de Martin Puchner. 

    O trabalho aborda personagens históricas   assim como momentos cruciais para o desenvolvimento das letras em diferentes civilizações, tendo início no mundo antigo e chegando ao contemporâneo. 

   Trata-se de uma leitura fascinante, interessante, que exigiu grande pesquisa e, ao mesmo tempo, não se trata de um texto pesado e difícil. Pelo contrário,  a leitura flui com facilidade e nos prende. Todos os capítulos são interessantes e trazem informações significativas.  Começando por Alexandre, o Grande e seu interesse pela Ilíada, passando pelo Popol Vuh, Guttenberg, abordando o Dom Quixote, Goethe,  literatura chinesa  África, 'Índia e, até mesmo, Harry Potter.   

    Um dos méritos  do livro é  falar a respeito de literatura de um modo original  demonstrando que a sua influência ultrapassa o âmbito literário propriamente dito, exercendo  peso na política,  na religião, nas artes em geral, na cultura, por certo, e no modo como a civilização se modificou graças à escrita, aos relatos orais e escritos, à ficção.   

   Os antigos escribas por certo ficariam pasmos com o alcance de sua profissão, no início limitada apenas a questões econômicas.  Partindo da economia e alcançando um status sagrado, os livros  ,sem sombra de dúvida,  foram e são essenciais  para a construção do mundo civilizado.   Nesta época sombria em que a leitura e a cultura sofrem ataques    como ocorreu em períodos anteriores , ler O Mundo da Escrita é um grande alento e um grande prazer. ,

    

   

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

Gramática

 


As coisas procuram
seus nomes
dessorando seus ossos:
nem sempre
pedra procura pedra,
musgo procura musgo:
sucumbem os desvalidos
se não renegam ,
macera-se a matéria
se não se despe:
nem sempre
se correspondem
digitais e dedos :
entre corpo sombra Sol
raramente há linha reta.

sábado, 26 de fevereiro de 2022

Baudelaire


 Ce qu'on peut voir au soleil est toujours moins intéressant que ce qui passe derrière une vitre. Dans ce trou noir ou lumineux vit la vie, rêve la vie, souffre la vie."

(Foto: Cleber Pacheco).

sábado, 12 de fevereiro de 2022

Geometria


 GEOMETRIA

O Todo
é o corpo do Nada ,
que não tem corpo,
só anatomia.
O Nada
é só silêncio
e o além da semântica,
sugestão de grafemas
no branco da página.
Existir
nem sempre é existência,
do inexistente,
a geometria transcende
a hipotenusa dos catetos.

sábado, 5 de fevereiro de 2022

Vislumbre


 Nos escombros 

do instante,

o agora vomita 

uma beleza sem diagnóstico.


Parir de flores 

em fulgor de cólicas.

Estrebuchar

de amor 

no ósculo dos bestas. 


Vinho é o dia 

fermentado 

nas catacumbas do claro. 


(foto: Cleber Pacheco).   

terça-feira, 4 de janeiro de 2022

Plantar


 

Colho a neve , 

Guardo em meus bolsos. 


Minhas mãos estão queimadas

De tanto semear flores. 


( Livro publicado em 2020). 


quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

Resenha


    Tendo lido duas vezes o romance Senilidade de Italo Svevo, há muito tentava encontrar A Consciência de Zeno, que acabei de ler.   Trata-se de um clássico imperdível. 

     Fazendo uma sátira à psicanálise, o  autor cria uma narrativa em primeira pessoa, efetuada pelo personagem Zeno. Um narrador nem um pouco confiável, contraditório, cínico  e cômico ao mesmo tempo.  A ironia é sempre contundente e corrosiva.  Já no início, em que o personagem relata as tentativas de parar de fumar, ficam nítidas as suas fraquezas,, mas o livro vai muito além disso. Mentiroso, hipocondríaco,  hipócrita, procrastinador, um   autêntico parasita a viver de rendas, incapaz de  realizar qualquer coisa  significativa em sua vida.  A personalidade dele é tão complexa e cheia de paradoxos, que ultrapassa as classificações.  

   A história da morte do seu pai,  o casamento, de sua amante, os negócios com o cunhado  e seu deboche referente às teorias psicanalíticas baseadas no complexo de Édipo nos fazem pensar, rir, aguçar nossa visão a respeito da vida em sociedade, dos relacionamentos , das inúmeras contradições humanas, e muito mais.   

   Encontramos o narrador não confiável  desenvolvido com maestria por autores como  Barbey D"Aurevilly e Henry James, por exemplo. Em Svevo isso  também é muito bem  explorado, com riqueza, profundidade e sátira aos costumes. Se em D"Aurevilly  há paixões violentas e sinistras e em James  cada texto é uma obra de arte, no autor é uma oportunidade de  explorar a chamada consciência da modernidade, ambígua e  fluída conforme a conveniência do momento.    Não existem convicções, ética, princípios.  Tudo depende do momento,  ao sabor das paixões num jogo de luz e sombra despistando toda e qualquer conclusão definitiva.  Tudo pode ser  apenas um jogo,  um contínuo fazer e desfazer como um novelo  que nunca chega a ser completado, um labirinto sem fio de Ariadne ou um tecer de Penélope a desmanchar o tecido para manter o  projeto sempre inacabado.  Aliás, para Zeno sequer há um projeto definido.  Suas doenças são invencionices assim como os seus amores ou fingir trabalhar enquanto fica sentado em seu escritório  apenas fumando.  Tudo pode nos remeter a uma grande farsa num mundo onde  o sentido está ausente.  

    Afirma Zeno: 

   A vida  se assemelha  um pouco à doença,  na medida em que avança  por crises e deslizes , com pioras e melhoras cotidianas. Mas,  à diferença das outras doenças, a vida é sempre mortal.