segunda-feira, 27 de março de 2017

Resenha


ADMIRÁVEL MUNDO NOVO de Aldous Huxley


   Estes primeiros anos do século XXI são a própria distopia.Então este é o momento certo para ler todos os livros a respeito do tema que ainda não foram lidos. E é exatamente isso que estou fazendo. Para começar,nada melhor do que o famoso romance de Huxley Admirável Mundo Novo. 
   Por algum motivo o livro havia me escapado e quando encontrei um exemplar não tive dúvidas: comecei a lê-lo imediatamente.
   Num futuro baseado no prazer e na felicidade, os seres humanos são condicionados emocional e intelectualmente para que uma aparente harmonia evite conflitos,sofrimentos e o pensamento. Os seres humanos são fabricados em castas e nelas vivem sem questionar,sem raciocínios perigosos e indesejáveis ao Sistema. Para evitar o sofrimento existe o soma que deve ser ingerido diariamente. A literatura foi banida assim como a filosofia.  O único a ler Shakespeare é um selvagem, a versão de Huxley de Caliban,personagem de A Tempestade escrita por,evidentemente,Shakespeare. Até mesmo a ciência está sob controle para servir aos interesses do Sistema.
   Há apenas um arremedo de religião. Agora o mundo se divide em antes e depois de Ford e não mais antes e depois de Cristo.
   O mundo criado pelo autor se assemelha muito ao nosso. As maiorias preferem não pensar, adoram o prazer fácil,vivem de modo gregário e aceitam as coisas como elas lhes foram impostas,uma vez que são condicionadas terrivelmente. Ou seja,o livro não envelheceu: está mais atual do que nunca.
   Trata-se de um romance indispensável,crítico e contestador,um final impactante,muito distante,por exemplo,  dos filmes de ficção científica ruins que têm sido realizados nos últimos anos.
 
 
  

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial