terça-feira, 1 de março de 2016

Ilusões Perdidas de Balzac ( parte 2) Reading in Process

Concluída a leitura do primeiro volume (resta o segundo,um tanto menor), cabe dar sequência aos comentários a respeito de Ilusões Perdidas, de Balzac.
   Depois de dificuldades iniciais, aos poucos o personagem Lucien vai conhecendo,cheio de pasmo,como a cidade de Paris funciona.Na verdade,  consegue ir entrando nos bastidores da vida política e cultural   daquele meio, fato simbolizado pelo seu percurso nos bastidores do teatro.Ele fica espantado por encontrar um ambiente tão diferente daquele visto no palco e acha a realidade aterrorizante. Com essa engenhosa passagem do livro, Balzac mostra que Paris é um jogo de aparências e ilusão,ocultando uma realidade perversa de jogo de interesses:
   " Já havia duas horas que, aos ouvidos de Lucien,  tudo se resolvia com dinheiro. No mundo do teatro quanto no da livraria,no da livraria quanto no do jornal, nada de arte ou glória.Os grandes golpes do fiel da balança da Moeda,repetidos em sua cabeça e em seu coração,martelavam-nos."
   No entanto, um profundo aprendizado não ocorre. Ele se deixa levar pelo triunfo fácil,obtendo êxito momentâneo. Imaturo, ambicioso, seu período de glória é fugaz, pois vai sendo manipulado por grupos aparentemente rivais.Esses grupos,na verdade, arquitetam a derrocada de Lucien. Sem habilidade para lidar com esse jogo cruel, a derrocada ocorre rapidamente. Ele,então,prepara-se para retornar a Angoulême.
 

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial