terça-feira, 8 de março de 2016

Conto: GÊNESIS

Eis que esculpiu quatro planetas.
O primeiro,de puro ouro, era uma joia de fina lavra.
O segundo, de cristal, refletia todos os matizes da luz.
O terceiro era de mármore,mas tinha a delicadeza de um ovo Fabergé.
Pessoas de todas as partes do mundo iam até lá para assombrar-se com tamanho talento.
E os planetas,que despertaram tanta admiração e pasmo,foram disputados pelos mais refinados colecionadores e exigentes museus.
Restou,com o escultor,apenas o planeta de argila,o único a não suscitar nenhum interesse.
Se observado sob uma lupa,revelava-se em detalhes,sendo possível ver,inclusive,um livro com os sonetos de Shakespeare.
Às vezes o escultor contemplava  a sua obra, enquanto raios de sol ou reflexos de lua pousavam sobre ela.
Guardando silêncio,viu que tudo era bom.

( foto: Google imagens)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial