segunda-feira, 17 de abril de 2017

Resenha


1984 de George Orwell.

   Prosseguindo as leituras dos romances distópicos, concluí recentemente o livro 1984 de George Orwell.
   Talvez alguns achem o trabalho  datado ou ingênuo. O fato é que ele chamou a atenção dos leitores recentemente graças aos políticos maquiavélicos.
   Em minha opinião, o texto é mais detalhista do que o romance de Huxley (Admirável Mundo Novo) e difere dele pelo uso da violência. No caso de |Huxley, as pessoas são condicionadas desde cedo a obedecer e nunca questionar. Em Orwell a tortura é um recurso essencial para destruir qualquer rebeldia e remodelar a mente, operando uma verdadeira lavagem cerebral.
   O livro é forte , contundente e possui questões significativas como o duplipensamento e a novafala. No primeiro caso é um recurso para que as pessoas aceitem duas ideias contraditórias ao mesmo tempo. No segundo, há um processo de destruição das palavras e a elaboração de um novo vocabulário com o intuito de evitar rebeldias, pois a linguagem é essencial para a compreensão da realidade. Outro ponto importante é o fato de haver uma contínua remodelação dos fatos históricos,adequando-os sempre às conveniências do Partido,de tal modo que a memória acaba sendo aniquilada sistematicamente,
  Winston Smith,o personagem central, nunca consegue se ajustar ao sistema.E ao apaixonar-se por Julia,intensifica sua resistência aos desmandos de uma sociedade que aniquila o indivíduo. Isso será decisivo para a sua vida e trará consequências funestas.
   Considero a obra muito atual uma vez que este século XXI é uma grande distopia com uma democracia de fachada,mero simulacro a ocultar as garras de um sistema tão cruel quanto o da ficção.
,   Leitura imperdível.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial