domingo, 11 de dezembro de 2016

Anacoreta ( 2)



   Sob uma árvore,no aberto tronco,instalou-se,plácido.Amalgamado  ao vegetal.Não um parasita,em mimetismo.Um vago ruído de folhas e de seiva.As pessoas que até ali vão  tentam chamar-lhe a atenção, irritá-lo,fazem poses ridículas, gestos obscenos,cospem-lhe,atiram pedras,xingam,chamam-no de idiota,louco,estúpido.Diante de tal espetáculo, limita-se a ficar de quatro e pastar.


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial