quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Mistérios

Dos Mistérios
tenho a chave,
abertura de enigmas,
confronto de sutilezas
onde  o refinado subsiste,
dracma perdida
imune às varreduras,
mais que lampejo
entre frestas e portas.
Fonte
de augúrio e maravilhas
que jamais se desvanecem,
alimento a sustentar
caroço e fruto
nos estigmas do eterno.
Dos poucos
que suspeitam
das portas a existência,
raros imaginam
forma e fechadura,
acesso ao substrato
de fascinans e tremendum.
Nas cavidades sem fundo
 do numinoso,
 o brilho incolor
se insinua
onde só videntes cegos
têm acesso e mergulham.

( imagem: Google)


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial