domingo, 2 de outubro de 2016

ARIDEZ

Brotam galhos secos
na primavera dos mortos,
secos ossos na aridez
da paisagem a consumir
retalhos de restos,
rumor de desolação
na aridez dos polens.

Esqueletos dançam
no árido da miséria
regurgitando vermes
a verter o nojo.
É morta a primavera,
não haverá flores.
Foi assassinado o pássaro,
voo não haverá.
É hora dos mortos
e eles têm fome.

(foto: Cleber Pacheco)






0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial