sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Arte Rupestre

   Por causa da terra ou das margens, do gado ou do homem,parece que corre o rio.Não finge,apenas cumpre.
  O que calam as margens,o boi olha,o homem vê,o rio atesta.
  Assemelha a um fluxo. Desestabiliza.
  Os torrões, olham, o animal bebe.
  O homem apropria-se,inventa cântaros.
   Não os ignora o rio.
  Desintegra-se em água,desmente o mundo.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial