quarta-feira, 31 de maio de 2017

Carta a Rimbaud


                                             
                                                                                                  Adorado irmão,

  Escrevo para você que ainda se encontra aí nesse local perdido do mundo apenas para confirmar:sim,atendi o seu pedido.Pode ficar tranquilo,pode descansar sua alma fatigada e seguir os negócios tão lucrativos e fascinantes,alcançando o nobre propósito de enriquecer.Deus o ajude a realizar tamanha felicidade e,quando consegui-la,retornar à sua casa,ao seu amado lar.
   Por certo está afoito para fazê-lo e finalemnte rever a sua querida família.
   Aguardamos ansiosamente.
   Não vemos a hora de reencontrá-lo.Cada vez mais preciosa torna-se a sua volta. O Filho Pródigo não seria tão bem-vindo.
   Novamente tranquilizo-o quanto à sua carta anterior.Ela não existe mais.Foi rasgada,picotada,incinerada.Nada dela restou.Nem mesmo as cinzas.Tive o cuidado e a consideração de soprá-las ao vento.Assim ninguém poderá saber.Ninguém.O poeta já não existe mais.E nunca retornará.Nunca.
   respire aliviado.Jamais alguém poderá saber o motivo pelo qual ele desapareceu para sempre,embrenhando-se em inexploradas selvas e desertos d´ África...

                                                                                                Com todo afeto,
                                                                                                da sua irmã que o venera,
     
                                                                                                 Isabelle.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial