domingo, 20 de março de 2016

OS ANCIÃOS ( continuação)

   Observando o caminho em frente à casa, Sekhmet viu uma aglomeração aproximando-se.Apertou os olhos claros tentando enxergar melhor, envolta por uma sensação estranha,aflitiva. Em vez de correr em direção às pessoas,entrou em casa,cobriu a cabeça com o véu da túnica,ajeitou o móvel e aguardou,dividida entre o desespero e a resignação.
   Suspirou.
   Uma tristeza a invadiu.
   No instante em que chegaram,ela os recebeu,ajudou a deitá-lo, verificou o seu estado sem dizer palavra.
   Os homens que haviam auxiliado já achavam esquisita a mudez de ambos.As mulheres,crianças e jovens começavam a entrar,formando um círculo ao redor do corpo .
   Nenhum sinal de ferimento existia. Nenhuma reação também. Ninguém conseguia entender. Um murmúrio espalhou-se pelo ambiente.
   A tensão dos pais era  óbvia.
   Um lamento ecoou.
   Cada vez mais pessoas chegavam tentando saber qual ocorrência causara tamanho tumulto, fato completamente incomum em local tão pacato.
   Os questionamentos aumentavam, intensificando a confusão.
   - Eu o encontrei no caminho e ele já estava assim  .- explicou Ptah.
   -E não havia  nada diferente por lá,nenhuma outra pessoa.-completou  o homem que os ajudara por primeiro.
   A dúvida só fazia aumentar. Como compreender o episódio se nenhuma explicação vinha à tona?
   Ainda calada, Sekhmet sentou-se ao lado do filho, passando a mão pelo seu rosto.
   As outras mães comoveram-se.
   - Quem sabe um dos rapazes viu alguma coisa. Seria bom perguntar a eles .-sugeriu alguém.
   -Teriam me falado. - contrariou Ptah.
   - Por que ele atrasou tanto?   quis saber um dos companheiros de trabalho.
   Sekhmet enfim pronunciou-se:
   - Ele estava ajudando numa pequena emergência.
   - Emergência?  repetiram todos.
   Ela voltou a calar-se.
   Nenhum deles jamais ouvira nada semelhante antes. Que espécie de emergência poderia ocorrer em Sadira ?  Simplesmente não fazia nenhum sentido.
   - Explique melhor. - pediram.
   - Não era aqui.  - limitou-se a dizer.
  - Onde?   insistiram.
   Antes de obterem a resposta, um ruído desviou a atenção de todos, fazendo-os se voltarem para a entrada.
   Agitada,uma mulher surgiu,provocando um novo tumulto.
   - Loth desapareceu. - gritou ela.


                       *****************************

 
  

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial