quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Poema: SEDE

Colhi laranjas.
Não provei nenhuma.
Sequer tentei remover a casca.
Seu aroma saciou minha sede.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial