segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Poema: TERRA-TIJOLO

Regurgitando o miolo
dispõe sua rudeza
ao avesso o solo
descobre sua dureza:
se é carne crua
a matéria nua
é o lodo dolo
e fóssil o tijolo:
assim colhido
e enfim cunhado
o barro empalhado
é bicho invertido:
se algum tem memória
o outro é sem história

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial