quinta-feira, 18 de setembro de 2014

POSSE

Tenho nada
e é tudo.
É dele,o grilo,seu salto
na relva;
é dela,a relva,seu verde,
o sumo;
é dela,a terra,
a que sustenta;
são deles,os olhos
vítreos do nada.
Quando calo,consinto.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial