quinta-feira, 25 de setembro de 2014

OUVIR

Qualquer ruído
sempre remete
a um sentido
que logo comete
suicídio.

Em seus despojos
repousam restos
tornados relógios
não raro molestos,
embora em estojos.

O que renasce
tem outro tom,
muito rapace
ou mero som
escavando uma face.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial