segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Poema : BRASIL


Vejo
terras
divididas
por contrárias
linhas
num desenho
que desafia
 bússolas
e  equinócios.

Quem desenha
e o que é desenhado
desencontram-se
em cada encontro,
 obra
que desafia
a retina
de quem é visto
e olha.

No corte
das paralelas,
um ferimento
que abrasa.


.




0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial