sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Remos


   Um velho barqueiro remando.Atravessar o rio muitas vezes ao dia,de uma margem a outra,é sua tarefa.Recebe os passageiros cordialmente,recebe o pagamento com gentileza.São infinitamente tristes seus olhos.Suave,a voz.Carrega homens,mulheres,velhos,crian-ças.Jamais reclama.Jamais fixa o horizonte.Ou as águas.Preso ao barco,nunca abandona seu fardo.Nada o impede de fazê-lo.


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial