quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Poema de Mário Quintana


A NOITE GRANDE

Sem o coaxar dos sapos
ou o cricri dos grilos
como é que poderíamos
dormir tranquilos
a nossa eternidade imagina
uma noite sem o
palpitar das estrelas
sem o fluir misterioso das águas.
Não digo que a gente saiba
que são águas
estrelas
grilos...
-morrer é simplesmente
esquecer as palavras.
E conhecermos Deus,talvez,
sem o terror da palavra Deus.

(foto: Cleber Pacheco)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial