sábado, 19 de abril de 2014

TESOURO

Cavei
com ambas as mãos
a esterilidade da areia.

Não encontrei mar
nem vagas , ou rastro
de sereia.

Nas mãos
ficaram as conchas
das quais a morte
está cheia.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial