sexta-feira, 12 de março de 2010

REINVENÇÃO

A poeta Cecília Meireles escreveu que a vida só é possível reinventada.Uma possível leitura é que o real é inatingível.Somente pelo uso de imagens,símbolos,sonoridades,metáforas podemos nos aproximar de tudo o que existe,sem jamais tocar o que é.
Daí a necessidade da literatura e,mais especificamente,da poesia.Só assim conseguimos indicar a coisa,revelar algo a seu respeito.O visível é a ponte para o invisível,ou ainda,um dos lados da moeda.O indizível será mostrado de modo indireto.As entrelinhas pesam mais que as palavras.
Mestra das entrelinhas,Clarice Lispector é um exemplo disso.Sua escrita é uma interminável busca de aproximação com a-coisa-em-si.Todos os seus livros,de um modo de outro,tratam disso.Desejar o impossível torna-se fonte de uma crise.Esta crise leva ao ato criador.Mesmo tentando atingir o mais cru ,somos obriga dos a reinventar.
A literatura torna-se uma fonte onde vamos beber insaciavelmente.É justo esta sede que nos faz escrever livros.Reinventar é inerente à natureza humana e ganha ainda maior importância nas mãos do artista.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial