terça-feira, 19 de abril de 2016

ABUTRES

Este é tempo de abutres,
tempo de esquartejamento.

Tempo de rocas silenciadas,
de tecidos rotos.

Tempo de vertentes secas
e abominação.

Tempo de nada e nenhum.



0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial