domingo, 23 de agosto de 2015

CRÍTICA LITERÁRIA

     Ainda existe a figura do crítico literário que paira no Olimpo distante dos meros mortais. É aquele que só lê Shakespeare e James Joyce. E em relação ao leitor, tem o complexo de dona Florinda: " Vamos,tesouro. Não se misture com esta gentalha." Para ele, hoje em dia ninguém sabe escrever. todos são ruins. Ele só está interessado nos autores canônicos.  Só existem os clássicos. O resto é lixo.
   No outro extremo está o resenhista. Ele comenta qualquer coisa que aparece. Ele adora os livros de Daniele Steel  e Sidney Sheldon. E se entusiasma com qualquer autor, contanto que ele esteja na lista dos mais vendidos.
   Sou obrigado a concordar com aquela máxima de que um crítico literário não consegue ser um bom escritor. E de que um escritor pode ser um ótimo cítico literário.
   Pessoalmente prefiro atitudes como a de Jorge Luis Borges, por exemplo. Um leitor contumaz, que sabia apreciar autors como Stevenson e G. K. Chesterton e, inspirado neles, escrever grandes contos. Um escritor-leitor, que está atento a tudo o que se faz e consegue construir sua obra  dialogando com todas as manifestações da cultura.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial